Missão

ASSOCIAÇÃO REVIRAVOLTA

Organização Não Governamental para o Desenvolvimento fundada em 27 de outubro de 2000, tendo sede na cidade do Porto.

As suas principais missões são divulgar os princípios do Comércio Justo e Solidário e promover um Consumo Responsável.

A Associação foi fundada por três jovens provenientes da cidade de Amarante que se deslocaram para exercer actividades profissionais no Porto. Em Amarante já existia uma organização de apoio ao Comércio Justo, o Aventura Marão Clube, bem como a primeira loja de Comércio Justo portuguesa, no qual os três jovens participavam. Agarrando a oportunidade que uma cidade com as dimensões da metrópole portuense oferecia, em termos de divulgação deste projecto, os jovens não hesitaram, e assim surgiu a Associação Reviravolta.

Inicialmente, o seu campo de acção era bastante restrito, cingia-se à promoção dos princípios do Comércio Justo, limitava-se a acções de sensibilização da população. Foi assim que a Associação foi recrutando voluntários. A palavra espalhou-se, e a Associação avançou para a etapa seguinte, para a comercialização de produtos.

No dia 12 de Outubro de 2002, dois anos volvidos após a sua constituição, a Associação consegue alcançar o seu primeiro grande objectivo: a abertura da primeira loja de CJ na cidade do Porto, num espaço comercial de 35 m2 no já extinto Centralshopping. Graças à divulgação efectuada junto dos órgãos de comunicação social (a abertura da loja foi coberta pelos principais canais nacionais de televisão e ainda pela NTV, pela grande maioria dos jornais nacionais diários e por várias emissoras de rádio nacionais), a abertura foi marcante, na medida em que atraiu à loja dezenas de potenciais clientes, e também novos voluntários. Desde então, a actuação da Reviravolta tem sido notícia em algumas publicações periódicas, como jornais, revistas e alguns sites da Internet.

Rapidamente o seu domínio de acção se expandiu, e a Associação abriu mais duas lojas: na Ribeira, um pequeno espaço que funcionava somente durante os fins-de-semana. Seguiu-se a loja do Parque da Cidade, que ainda se encontra em pleno funcionamento, e que está situada no Núcleo Rural do parque.

Em Setembro de 2006, a Reviravolta abre uma loja numa rua de capital importância nas transacções comerciais da Invicta, a Rua de Cedofeita, em parceria com a Equação (entidade importadora de produtos de CJ, pioneira em Portugal, e a CTM Altromercato (cooperativa e importadora de CJ italiana). Volvidos dois anos, a loja de Cedofeita também foi encerrada. O mais recente espaço comercial da Reviravolta é a Loja de Ramalde, recém inaugurada, em Julho de 2013. Actualmente, a Reviravolta exerce a sua actividade nesta loja, e também na loja do Parque da Cidade.

.

Actividade da Associação Reviravolta

As suas principais actividades giram em torno dos locais de venda dos produtos: as lojas (Worldshps), feiras e escolas onde, maioritariamente, se desenrolam as acções de formação. A sua actuação decorre, de um modo geral, na área metropolitana do Grande Porto.

Outro dos seus campos de acção incide nas parcerias com outras organizações que promovem actividades no sentido de levar o Comércio Justo a um público mais vasto e alargado, tanto a nível nacional como internacional. Neste sentido, a Associação participou em projectos europeus como o “Joint Actions for Fair Alternatives” (JAFA), em parceria com congéneres europeias de Itália, Grécia, Inglaterra e Finlândia, e do qual resultou a produção de um cd-rom interactivo traduzido para Português, bem como a divulgação do CJ e das lojas através da produção de diverso material informativo. Um outro projecto em que a Associação se encontra envolvida é o “Playing Fair Alternatives”, em que se produziu um jogo, uma adaptação do conhecido “Monopólio”, ajustado aos ideais preconizados pelo CJ, em parceria com congéneres europeias de Itália, Malta, República Checa e Grécia.

A Reviravolta participou, ainda, no segundo ano do projecto “Clubes de Comércio Justo nas escolas”, financiado pelo IPAD e liderado pelo CIDAC (Centro de Informação e Documentação Amílcar Cabral) e pelo Instituto Marquês Valle Flor, do qual foi parceira, juntamente com outras associações de Comércio Justo de todo o país. O objectivo maior deste projecto passou por contribuir para a consciencialização dos jovens portugueses sobre as assimetrias e a interdependência Norte/Sul numa perspectiva de Desenvolvimento Sustentável.

Através deste projecto, a Reviravolta foi responsável pela dinamização de três Clubes de Comércio Justo (Porto, Ovar e Mindelo). A Reviravolta foi, também, coordenadora do projecto “Rede Nacional de Consumo Responsável”, em parceria com o ISU (Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária), cujo móbil consistiu em informar e capacitar os jovens portugueses para a mudança dos seus hábitos de consumo.

 .

Fonte: Coelho, Sandra Lima

“(N)o Mundo (d)a (Revira)volta – formas alternativas de distribuição numa era de globalização: o Comércio Justo”

http://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/7592

.

..

A Associação Reviravolta tem os seguintes objetivos estatutários:
a) Informação/formação dos consumidores sobre o Comércio Justo;
b) Comercialização dos produtos do Comércio Justo;
c) Divulgação e sensibilização sobre o Comércio Justo;
d) Contacto com a cooperação;
e) Educação para o desenvolvimento;

.

.

Áreas de Intervenção da Reviravolta

 1. Comercial

– comercialização de produtos de CJ e, eventualmente, de outros produtos oriundos de movimentos similares (biológicos, orgânicos; venda dos livros editados pelo CIVE MORUM).

 ..

..

2. Educação e Sensibilização

– promoção do consumo responsável e do CJ em escolas, através da realização de palestras, workshops, atividades, clubes de CJ.

– estabelecimento de parcerias com escolas e universidades na área da educação.

– elaboração de projetos de intervenção social.

..

..

3. CIVE MORUM – Núcleo de Estudos e Intervenção Cívica

– este núcleo foi criado em parceria com o Instituto de Sociologia da Universidade do Porto (http://civemorum.com.pt) e permite que a atuação da associação incorpore uma dimensão científica. Este núcleo tem um âmbito temático mais amplo que o foco da AR, sendo que a associação intervém ao nível das questões relacionadas com o consumo responsável.

 – toda a componente de preparação de projetos de investigação, de realização de eventos científicos e de publicação de livros e similares será realizada no âmbito do CIVE MORUM e em estreita articulação com o Instituto de Sociologia da Universidade do Porto.

 – CIVE MORUM intenta proclamar uma cidadania participativa, regida por princípios éticos, articulando-os na preconização de estilos de vida ambientalmente mais sustentáveis, participativos e mobilizadores de uma maior integridade social partilhada. Tem como principais iniciativas a promoção de Redes nacionais e internacionais de investigação, do Ciclo de Conferências sobre Consumo Responsável, do Congresso Internacional Cive Morum e de Edições Cive Morum.

.

..

4. Voluntariado

– disponibilização de Bolsa de Voluntariado

– fomentar parcerias com entidades locais para acolher voluntárias/os

– fomentar parcerias para criar Clubes de Consumo Responsável e Comércio Justo em escolas e universidade a partir das bolsas de voluntariado dessas instituições.

– acolhimento de voluntários do serviço europeu de voluntários, em articulação com a Equação.

.

.

Deixe um comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s